A Essência da Criatividade

FacebookGoogle+

Hoje em dia, quem podemos caracterizar como criativo?

Em nossa sociedade há um mito em torno da criatividade que nos leva a enxergar como criativos somente aqueles grandes gênios que se destacaram ou se imortalizaram nas artes e ciências. Na realidade, muitos de nós acreditamos ser desprovidos dela.

Herdamos alguns comportamentos padronizados e formamos um sistema de valores, baseados na educação dos nãos: não faça isso, não faça aquilo, perpetuada geração após geração. Crescemos cultivando o medo da crítica, o medo de errar. Com um nível de auto-estima e autoconfiança muito baixos, tendemos a não enfrentar os desafios com criatividade. Não há como negar a existência de grandes gênios, mas todos nós somos criativos, apenas em diferentes níveis.

Estamos em plena era da criatividade, onde a aquisição de tecnologias de ponta está cada dia mais acessível devido à globalização e à facilidade de acesso à informação. A tentativa de democratização do conhecimento pela Internet e outros veículos à distância, além da concorrência em graus elevadíssimos, nos levam a seguinte conclusão: permanecerá no mercado o profissional que estabelecer vantagens competitivas sobre os demais.

Chance para o novo

Colocar novas ideias em ação e oferecer produtos e serviços diferenciados são as novas exigências do mercado. Hoje a criatividade e a inovação profissional fazem a diferença.

Para melhor compreensão dessas noções, numeramos os dez principais hábitos das pessoas criativas:

• Curiosidade: cultivar o hábito de ler, viajar, estabelecer redes de contatos, utilizar as tecnologias disponíveis para pesquisa;

• Ousadia: correr riscos calculados, inovar, sair do padrão, fazer acontecer, superar o medo de errar e aprender com os erros;

• Questionamento: capacidade para substituir a pergunta “por que?” pela indagação “por que não?”;

• Inconformismo: atitude constante de busca, certeza que algo mais vai acontecer e que nada é definitivo;

• Visão de futuro: habilidade para descortinar cenários e perceber tendências. Ser o arquiteto de seu próprio destino;

• Persistência: capacidade de superar fracassos e começar de novo;

• Flexibilidade: habilidade para exercer papéis aparentemente opostos: liderar e ser liderado, ensinar e aprender com o outro. Estar em constante processo de mudança;

• Imaginação: sonhar com o futuro, formar imagens mentais, perseguir os sonhos, transformando-os em metas;

• Cultivar seu lado lúdico: bom humor, brincar e se divertir com ideias;

• Visão sistêmica: facilidade para ver e compreender os fenômenos como um todo, porém percebendo detalhes e partes.

Se você quer entrar para o rol dos profissionais criativos, o primeiro passo é observar estes hábitos e incorporá-los ao seu cotidiano.

Fonte: Rede Agências

Recommend to a friend

Comentários

  1. Sebastião Carlos Nilo Abranches disse:

    Achei muito proveitoso em minha nova empreitada